Nos últimos anos, muitos aplicativos foram lançados com a missão de tornar a vida mais prática. Entre tantas novidades, o WhatsApp é sem dúvida uma ferramenta que merece destaque pela facilidade que imprimiu às relações de todas as naturezas.

 

Seu modo simples de operar e suas funcionalidades possuem grande valor para a vida moderna. Dos mais novos até os idosos, todos já se habituaram a mandar as mensagens e verificar se ela foi recebida, graças à marcação de “lida” em azul. A rapidez de entrega é um capítulo à parte, sem falar na possibilidade de criar grupos fechados e conversar com diversas pessoas ao mesmo tempo.

 

Inicialmente, os grupos se restringiam aos amigos e familiares mais próximos. No entanto, com a disseminação do aplicativo e a inserção dele no cotidiano de trabalho, muitos passaram a adotar os grupos também para discutir sobre assuntos corporativos, de família e até mesmo dos condomínios. É realmente muito prático, porém esse não é o melhor canal.

 

Problemas ao usar o canal de comunicação errado

Todos sabemos que a vida em condomínio não é um mar de rosas. Por mais que sejamos flexíveis, amigáveis e gostemos de nossos vizinhos, é impossível haver 100% de concordância entre todos os moradores. A variedade de assuntos a resolver e a pluralidade de ideias e de culturas tornam o condomínio um terreno fértil para discussões – positivas e negativas, fazendo com que seja natural as pessoas divergirem de acordo com suas necessidades. Soma-se isso ao fato de que cada um sabe de suas dores e precisa defender seus interesses, caso contrário pode sair prejudicado.

 

Entretanto, os grupos de WhatsApp não têm como característica a formalidade – o que é fundamental para que as discussões sejam levadas a sério. Eles são formados de forma amadora, correndo o risco de deixar moradores de lado e esses não ficarem a par do que foi conversado. Além disso, as discussões pelos grupos de WhatsApp ocorrem de forma desorganizada e não há garantias de que todos os participantes estão realmente acompanhando a conversa.

 

Além disso, por não ser apropriado para o uso formal, trata-se de um ambiente propício às fofocas. Quem mora em condomínio sabe o quanto a desinformação atrapalha a gestão. Basta um boato para que surja uma confusão difícil de administrar.

 

Use o app certo

Para evitar esses atritos, as administradoras de condomínio estão evoluindo seu modelo de atuação. A HABITACIONAL, por exemplo, desenvolveu um aplicativo chamado Habitacional Digital, onde os moradores podem acompanhar todas as atividades do condomínio onde moram e obter as informações que lhes interessam pelo celular, sem a necessidade de sair de casa ou interfonar para o síndico. Nos condomínios onde atua, os grupos de WhatsApp são desencorajados pelos gestores e não representam um canal oficial.

 

Além de ajudar a organizar as discussões, o aplicativo oferece facilidades como boletos, alteração cadastral, informações rápidas sobre gastos, fluxo de caixa, contas e comprovantes de pagamento.

 

O ideal é priorizar sempre os canais oficiais de conversas, por mais praticidade que aplicativos como o WhatsApp ofereçam. É mais seguro evita uma série de transtornos que podem causar ainda mais trabalho ao síndico.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here